O primeiro semestre letivo deste ano praticamente se encerrou para os alunos. Já para os professores que coordenam os cursos da Univale, gestores da Universidade e ETEIT, as atividades continuam, desta vez com uma capacitação, realizada no Campus II da instituição. Nesta segunda-feira (8) eles se reuniram para participarem de uma formação sobre planejamento organizacional.

“O propósito da reunião foi trabalhar as habilidades do planejamento acadêmico, visando compreender todas as etapas de elaboração: planejar, executar e monitorar”, explica Viviane Carvalho, pedagoga do setor de Gestão Pedagógica (GEPE) e assessora de graduação da Univale.

Viviane Carvalho, assessora de graduação, fala aos professores que coordenam cursos na Univale, durante uma das etapas da atividade de formação — Foto: Leandro Silva/ ASCORG

O evento, promovido pela Pro-reitoria de Graduação, começou com a apresentação da linha do tempo dos encontros anteriores e, em seguida, uma dinâmica de grupo. Após, houve um momento de reflexão, que contou com uma mini palestra ministrada pelo professor Omar Azevedo. A programação teve uma pausa para o café, e retornou com a apresentação do projeto e da Jornada do PLACAD – o Planejamento Acadêmico.

O professor Marcelo Bello, coordenador do curso de Ciências Contábeis, fez uma demonstração do planejamento de atividades que construiu com ajuda de sua equipe, já no primeiro semestre de 2019, e que será executado ao longo do segundo semestre do mesmo ano.

Segundo Viviane Carvalho, a formação de planejamento organizacional é importante, pois permite aos professores entenderem que esta é a parte principal de qualquer ação a ser desenvolvida. Ela enfatiza que é preciso observar as várias habilidades e competências necessárias aos coordenadores ao ocuparem um cargo de gestão, além daquelas de sua área de formação.

“Não se trata apenas de contratar e dispensar, mas pensar num curso sustentável, nos professores que dão aula em outro curso, mas que ministram a mesma disciplina no meu. É fazer gestão de pessoas, lidar com o corpo docente, discente, com os profissionais técnico-administrativos, aqueles que estão nos laboratórios, articular com a comunidade acadêmica e a externa. Eles pensam, inclusive, no marketing, em como vão ‘vender’ esse curso”, disse.