A faculdade de Medicina é rodeada de mitos. Como se trata de um curso extremamente concorrido, e muitas pessoas se preparam por anos antes de entrar, é normal que se criem imaginários sobre o que acontece no curso. 

É claro que existe muita informação legal na rede, que é compartilhada por estudantes que já chegaram na tão sonhada faculdade. No entanto, como dizem por aí: ai, Gabi, só quem viveu sabe. É por isso que nós conversamos com um estudante de Medicina, para entender quais são os mitos mais comuns entre os pré-vestibulandos. 

Perguntamos o que ele descobriu que não era verdade quando entrou no curso. As respostas são o que você vai ver aqui. Além disso, também trouxemos outros mitos que são muito comuns sobre a faculdade. Confira! 😉

Só gênios conseguem entrar 

Para começar, não poderíamos deixar de mencionar os mitos a respeito do vestibular. Todo mundo sabe que ingresso no curso de Medicina é muito concorrido, e isso é fato. Entretanto, não é necessário ser nenhum gênio para ser aprovado. 

Os níveis de preparação que o vestibulando teve durante a vida escolar vão influenciar muito nesse momento, e alguns terão mais dificuldade que outros. Porém, com muito esforço e dedicação, qualquer um consegue conquistar a vaga, ainda que não seja na primeira tentativa.

faculdade de medicina
Unsplash

Preciso abandonar totalmente a minha vida social para estudar

Totalmente, não. A faculdade de Medicina tem uma carga-horária alta e em período integral, isso quer dizer que o aluno terá sim que dedicar boa parte do tempo aos estudos. No entanto, abrir mão da vida social por completo não é saudável. 

É preciso (e possível) buscar um equilíbrio entre a matéria acumulada e a diversão com os amigos. Se forçar a estudar além do limite pode, inclusive, comprometer o rendimento acadêmico. 

É muito difícil se formar

Os cursos superiores, de forma geral, são muito diferentes do que os alunos estão acostumados no ensino médio. As atividades extra-curriculares e o tempo que é necessário dedicar aos estudos fora de sala é muito maior. Além disso, também há uma grande quantidade de material de leitura, trabalhos, seminários, aulas práticas, visitas técnicas, estágios e muito mais. 

No entanto, a ideia de que é impossível terminar a graduação no tempo certo ou passar sem dependências é falsa. O curso de Medicina não tem uma taxa de reprovação tão elevada quanto as engenharias, por exemplo, em que é muito mais comum ter que repetir disciplinas. Além disso, a maioria dos alunos de Medicina termina o curso no tempo regular.

Vou entrar no curso e já começar a atender pacientes

Não é bem assim. O curso de Medicina é dividido em diferentes ciclos. No ciclo básico, que são os primeiros dois anos, o aluno ainda não tem tanto contato com pacientes. Já no ciclo clínico, o contato é um pouco maior, até chegar no internato, que são os dois últimos anos, onde o curso fica quase completamente prático. Em outras palavras, o contato com pacientes vai aumentado gradualmente no decorrer da formação.

faculdade de medicina
Unsplash

Vou gostar de tudo no curso

Infelizmente, nem tudo são flores. Os alunos saem do ensino médio e entram na faculdade pensando que agora só vão estudar aquilo que gostam, mas nem sempre é assim. O curso de Medicina tem 12 semestres de duração e inúmeras disciplinas sobre assuntos variados.

No decorrer do caminho, pode ser que você não se identifique muito com algumas delas. Mas isso não significa que o curso não é pra você, ou que você fez a escolha errada. É normal preferir algumas áreas ou ter mais afinidade com alguns conteúdos.

Que tal começar a viver esse sonho?

Se você chegou até aqui, certamente tem interesse na faculdade de Medicina! E temos uma ótima notícia pra você: as inscrições para o vestibular estão abertas. Pode ser a sua chance de realizar esse sonho. Se inscreva agora mesmo!