Por Barbara Brandão e Natália Lima
5º Período de Jornalismo

Em tempos de fake news é preciso tomar muito cuidado com informações que circulam pelos canais de comunicação, principalmente as redes sociais. Isso tem sido recorrente nos últimos meses em relação ao novo coronavírus. Então, nada melhor do que ter como fonte de informação confiável profissionais da área do ensino e da pesquisa para combater essa “chuva” de notícias falsas. Foi com esse objetivo que a Univale, por meio do Núcleo de Saúde, realizou nos dias 7 e 8 de maio o evento “As várias faces da Covid-19”, que foi dividido em duas transmissões ao vivo pelo canal da Universidade no Youtube. Se deu certo? Em apenas cinco dias, os dois vídeos tiveram, juntos, mais de 2 mil visualizações.

Não por acaso, a primeira live foi transmitida no dia 7, quando se comemorou a “Marcha Virtual pela Ciência no Brasil”, uma manifestação organizada por entidades de todo o país ligadas à Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I), com o objetivo de chamar a atenção para a importância da ciência no enfrentamento da pandemia da Covid-19 e de suas consequências para a sociedade, para a economia e para a saúde pública.

Nesse primeiro dia do bate-papo virtual, um grupo de professores do Núcleo de Saúde da Univale destacou a origem do vírus, diagnóstico e formas de enfrentamento. A professora e coordenadora do curso de Biomedicina, e também uma das idealizadoras do evento, Juliane Albuquerque, revela que inicialmente ficou insegura com o resultado, considerando a inovação da proposta, principalmente por se tratar de um tema denso e com muitas vertentes sendo debatido ao vivo e virtualmente. “Começamos a pensar nesse evento por conta da importância de se levar informação de qualidade para as pessoas. Enquanto instituição de ensino e pesquisa, temos a obrigação de fazer isso”.

Para o professor Micael Alves, do curso de Enfermagem e palestrante do primeiro dia, a situação de Governador Valadares diante da pandemia depende de um conjunto de fatores que abrange os cidadãos, os governantes e o próprio agente viral. “Esse conjunto de fatores envolve o diagnóstico e isolamento precoce de pessoas sintomáticas, suspeitas ou confirmadas, para Covid-19; a testagem de casos suspeitos; o cumprimento das medidas de isolamento dos casos suspeitos ou confirmados; a restrição de contato social pela população em geral, bem como de todas as medidas sanitárias necessárias. Não obstante, há que se considerar, de igual modo, a forma como o poder público se posiciona em relação à pandemia e isso inclui a restrição, a flexibilização de algumas regras e a fiscalização destas”.

Segundo o professor, que também é enfermeiro e que está na chamada linha de frente da saúde no combate ao novo coronavírus em Valadares, “uma coisa é certa: os números continuarão existindo e são esperados ciclos de aumento e redução a depender da dinâmica à qual me referi anteriormente. Quanto maior a movimentação da população pela cidade, maior o risco”. Além dos professores Micael e Juliane, participaram do bate-papo virtual no primeiro dia de live os professores Thalisson Gomides, Pedro Marçal, Rafael Gama, Lourimar Viana e Bárbara Nery.

Segundo dia

O segundo dia do evento começou com a apresentação dos números do coronavírus em Valadares até então, seguido de temas votados para os sintomas, complicações e tratamento da doença, recomendações de segurança, e saúde mental em tempos de isolamento. A professora e coordenadora do curso de Fonoaudiologia, Luciana Silveira, falou sobre as possíveis sequelas “pós internação prologada de pacientes com Covid-19”.

Segundo ela, esse tipo de paciente, que foi entubado, pode apresentar sequelas quanto à deglutição e à fala. “Há relatos de alguns pacientes que estão tendo confusão mental, dificuldade de memória, atenção e desorientação. Eles precisam da fonoaudiologia para poder regular o raciocínio, reativar a memória, localização no espaço e no tempo. A fonoaudiologia trabalha com o paciente depois que ele já saiu do tubo, está consciente e acabou a sedação. A gente trabalha para começar a recuperar essas habilidades do paciente”.

A temática da saúde mental em tempos de isolamento tem sido uma das mais recorrentes e debatidas ao longo da quarentena. Segundo a professora Tandrécia Cristina, do curso de Psicologia, para as pessoas que estão em casa cumprindo a quarentena, também é preciso destacar os cuidados relacionados à saúde mental. “Reconhecer sinais e sintomas, como ansiedade, medo, estresse, dentre outros que se fazem presentes na nova rotina, é importante para auxiliar na manutenção do equilíbrio”.

Ainda de acordo com ela, é necessário, também, procurar compreender quais situações potencializam esses sintomas, procurando evitar o contato com “fatores estressores. Outros meios são buscar contato afetivo com pessoas significativas a você, procurar atividades que te dão prazer, manter uma rotina diária e, sim, procurar ajuda profissional quando não conseguir lidar com esses fatos que estão lhe causando angústia, ansiedade, tristeza e outros”.

Além das professoras Luciana e Tandrécia, participaram do bate-papo virtual no segundo dia do evento os professores Thalisson Gomides, Pedro Marçal, Marcelo Xavier, Junea Ferrari, Graça Cabral e a enfermeira Patrícia Mendes, do Setor de Biossegurança da Univale.

Iniciativa inovadora

Franco Dani, professor dos cursos de Jornalismo, Publicidade e Propaganda, participou do evento como mediador. Ele disse que apesar de não fazer parte do Núcleo de Saúde da Univale, ficou muito à vontade entre os “colegas altamente gabaritados e preparados para falar sobre o tema proposto”. O professor destacou a iniciativa sob vários aspectos, ressaltando, principalmente, a relevância dessa “reunião virtual” como uma oportunidade inovadora de abertura de um importante espaço para interação virtual entre professores, alunos e comunidade externa.

“Desde as primeiras conversas entre os professores, ficou claro que a intenção era que o evento fosse aberto não só para a comunidade acadêmica, mas também para a comunidade externa de uma forma geral que, no dia a dia, muitas vezes padece de informações de credibilidade sobre o novo coronavírus. Junto com nossos alunos de Jornalismo e Publicidade, pesquisamos ferramentas e plataformas mais adequadas para alcançarmos um grande público numa transmissão ao vivo, e que ao mesmo tempo permitisse a interação de vários professores numa mesma sala virtual. E deu certo! Não só superou nossas expectativas, como acredito que abrimos um precedente para, em tempos de isolamento, estabelecermos canais de comunicação e transmissão de conhecimento científico para a comunidade, possibilitando, inclusive, que ela possa interagir com a universidade”.

Participações e podcasts

Andressa Campos, aluna do curso de Fisioterapia, acompanhou as explanações dos professores pelo Youtube. Para ela, “as lives foram muito importantes e enriquecedoras, tanto para nós, alunos, quanto para o público em geral. Já que esse, infelizmente, é o nosso cenário atual, nesse período de pandemia é de extrema importância nos mantermos informados sobre a real situação e para ter consciência sobre as melhores formas de prevenção”.

A aluna do curso de Odontologia, Judy Aires, assistiu de casa os vídeos de quinta e sexta. Ela elogiou a proposta do evento no formato virtual e ressaltou a importância de iniciativas como essa. “Achei bacana, inclusive, deu para esclarecer muitas dúvidas sobre a origem e o modo como o vírus entra em contato com nosso corpo”. Assim como Andressa e Judy, muitas pessoas prestigiaram o evento a distância. Algumas deixaram seus comentários durante as lives e outras fizeram perguntas.

Por conta do tempo, número de participantes e pela complexidade do tema, os professores concordaram em responder as perguntas posteriormente, por meio de podcasts, que são arquivos de áudio que podem ser ouvidos em diversas plataformas digitais, incluindo smartphones. As entrevistas que vão gerar os podcasts estão sendo feitas pelos alunos do 5º período de Jornalismo e logo estarão disponíveis no site da Univale e nas redes sociais da instituição. Os temas abordados não se limitarão às perguntas feitas durante as lives, mas a pautas gerais sobre a Covid-19 do ponto de vista da Nutrição, da Biomedicina, da Odontologia, da Farmácia, da Enfermagem, da Medicina, da Psicologia, da Fonoaudiologia e da Fisioterapia.

Para quem não assistiu as lives, mas ficou interessado em conhecer um pouco mais sobre os diversos aspectos do vírus e da doença, os vídeos estão disponíveis na página da Univale no Youtube. O endereço é www.youtube.com/user/univale. O link direto do vídeo do dia 7 é: https://www.youtube.com/watch?v=wWwvY9p6l_8. E o do segundo dia (8), https://www.youtube.com/watch?v=t3AqZqDYRlA.