Evento anual discute consequências do desastre da barragem da Vale/Samarco/BHP

Entre os dias 20 de outubro e 6 de novembro, acontece a 5º edição do Seminário Integrado do Rio Doce – SIRD. O evento reúne pessoas que foram atingidas pela tragédia, instituições de ensino, grupos de pesquisa e órgãos representativos para debater questões relativas às consequências do rompimento da Barragem da Vale/Samarco/BHP, em Bento Rodrigues, que completa 5 anos no dia 5 de novembro de 2020. Neste ano, o tema do evento será “Esquecimento e incertezas dos desastres da mineração: resistir é preciso”. 

A programação teórica do evento será completamente on-line e gratuita, com transmissão ao vivo pelo canal da Univale no YouTube. Não é necessário fazer inscrição. 

 

Detalhes da programação

A abertura do evento acontecerá às 19h30 do dia 20 de outubro. Em seguida, às 19h45, o procurador da República Edmundo Antônio Dias Netto Júnior, o promotor de justiça André Sperling Prado e a defensora pública Carolina Morishita Ferreira, se reunirão em uma mesa redonda para falar sobre o meio ambiente e os direitos dos atingidos pelo rompimento da barragem da Vale/Samarco/BHP, 5 anos depois da tragédia. A mesa será moderada pelo professor Ms. Diego Jeangregório Martins Guimarães, integrante do grupo de pesquisa Observatório Interdisciplinar do Território (OBIT) da Univale.

No dia 23 de outubro, o evento continua a partir das 19h30, com depoimentos de atingidos pelo desastre, com moderação de Maria do Carmo Silva, que representa o Centro Agroecológico Tamanduá. Já no dia 3 de novembro, também às 19h30, o promotor de justiça Ms. Leonardo Castro Maia, e os professores Dr. José Rubens Morato Leite, da Universidade Federal de Santa Catarina, e Dr. Ângelo Denadai, da Universidade Federal de Juiz de Fora, vão debater a qualidade da água do Rio Doce, com base no relatório da Lactec (Laboratório de Análises). 

rio doce
Rio Doce em Governador Valadares

No dia 4 de novembro, a partir das 18h30, os pesquisadores inscritos no evento que possuem estudos socioambientais em andamento terão a oportunidade de apresentar seus trabalhos, com a moderação da profa. Dra. Eunice Nodari. No mesmo dia, às 20h30, acontecerá o debate “Incerteza dos Desastres Minerários: da lama à pandemia”, com participação do prof. Dr. Haruf Salmen Espindola, da Univale, profa. Dra. Marcia Grisotti, da Universidade Federal de Santa Catarina, e  dos professores Dr. Ricardo Rozzi e Dra. Irene Klaver, ambos da University of North Texas (EUA). O debate será moderado pelo consultor ambiental Cláudio Guerra.

O penúltimo dia do evento, 5 de novembro, será a única data com uma atividade presencial. O Fórum Permanente em Defesa da Bacia do Rio Doce e a Comissão de Atingidos do Território de Valadares promoverão uma celebração ecumênica, que será realizada na Praça da Bíblia, em frente a Agência Central dos Correios de Governador Valadares, às 10h. A programação on-line continua a noite, a partir das 18h30, com o debate “5 anos: um grito por justiça!”, que terá participação do Bispo  Dom Vicente de Paula Ferreira (Comissão Especial de Ecologia Integral e Mineração CNBB), Frei Rodrigo Péret (Rede Igrejas e Mineração), Pastora Débora Blunck (Pastorais Sociais da Igreja Metodista) e do Padre Nelito Dornellas (Pastorais Sociais CNBB/Leste 2). 

Ainda na noite do dia 5, a partir de 20h30, o prof. Dr. Sérvio Pontes Ribeiro, da Universidade Federal de Ouro Preto, a profa. Dra. Renata Bernardes Faria Campos, da Univale, e a Ms. Bianca de Jesus Souza, do Centro Agroecológico Tamanduá, debaterão o tema “Saúde e Ambiente”. O encerramento do evento acontecerá no dia 6 de novembro, quando os pesquisadores participantes farão uma videoconferência onde será elaborada a III Carta de Governador Valadares, que reunirá as principais conclusões e reivindicações levantadas durante o SIRD.

Realização

O 5º SIRD é realizado por várias instituições parceiras: Univale, representada pelo grupo Observatório interdisciplinar do Território, do Mestrado em Gestão Integrada do Território; Fórum Permanente em Defesa da Bacia do Rio Doce; Universidade Federal de Juiz de Fora (Campus GV); Instituto Federal de Minas Gerais (Campus GV); Rede Interinstitucional de Pesquisa Socioambiental de Governador Valadares; Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas da Universidade Federal de Santa Catarina; Rede Terra Água (UFV/UFOP/Univale) e Comissão de atingidos do Território de Governador Valadares.