No dia 10 de dezembro, é celebrado o Dia Internacional dos Direitos Humanos. Em Governador Valadares, a data foi marcada por uma ação realizada na Praça dos Pioneiros, no centro da cidade, que mobilizou diversos órgãos e instituições.

Das 14 às 18 horas, todos os que passaram por lá puderam participar de atividades culturais e de orientação: o evento teve música ao vivo, declamação de poesias, brincadeiras, algodão doce, corte de cabelo e sobrancelha, aferição de pressão arterial, glicemia, peso e altura, além de atendimento odontológico e jurídico. Um dos cursos que representaram a Univale no evento foi o de Pedagogia — alunos e professores proporcionaram momentos de diversão às crianças e aos adultos que passaram pela praça.

“Nós reconhecemos o direito de brincar de cada criança, o direito constitutivo das infâncias, por isso nós levamos a Brinquedoteca até lá, para brincar com crianças e adultos que passaram pela praça. A ludicidade faz parte de nós seres humanos, em qualquer idade”, destacou a professora Karla Almeida, coordenadora do curso de Pedagogia da Univale.

Declaração Universal dos Direitos Humanos

A Declaração Universal dos Direitos Humanos afirma que todos os indivíduos têm direito ao lazer e às atividades culturais. Além disso, o artigo 16 do Estatuto da Criança e do Adolescente, no inciso IV, garante o direito de “brincar, praticar esportes e divertir-se”.

Os Direitos Humanos são uma pauta de discussão mundial — a Declaração foi instituída em 1948, após a Segunda Guerra Mundial, mas ainda hoje seus objetivos não foram alcançados de forma efetiva.

Outra questão pautada em debates sobre o assunto é a liberdade religiosa, que foi tema de uma dissertação recentemente apresentada pelo professor André Rodrigues, coordenador do curso de Direito da Univale. “Nós levamos esse assunto às crianças e aos adolescentes nas escolas porque eles precisam ter consciência sobre o que é a liberdade religiosa, essa discussão na sociedade precisa ser frequente se quisermos diminuir a intolerância e o desrespeito”, destacou o professor.

Ações como a realizada na Praça dos Pioneiros são uma forma de levar à sociedade a conscientização sobre os Direitos Humanos, de forma prática e fácil de compreender.

 

Fotos: coordenação do curso de Pedagogia