A gente já sabe que não há quem resista a boa e tradicional comida brasileira; mas também não é segredo que a habilidade de produzir pratos saborosos e criativos está no sangue do brasileiro. E foi pensando nisso que a Secretaria Municipal de Educação de Governador Valadares e o curso de Nutrição da Univale se juntaram para promover o 1º Concurso de Receitas Culinárias, com a participação de cozinheiras de escolas e creches parecerias do município. As provas acontecem nos dias 5 e 6 de novembro, na Univale.

A intenção do projeto é valorizar os profissionais que atuam nas escolas e trazer inovação ao cardápio oferecido aos alunos. Sendo assim, as participantes deveriam produzir um prato que fosse atrativo aos alunos, criados por elas mesmas e que utilizasse os ingredientes já fornecidos as escolas. O prato ganhador vai entrar no cardápio das escolas no ano que vem.

No primeiro dia de competição, os pratos apresentados foram: surpresa de legumes, almôndegas, purê de abobora e purê de batata doce, representando as escolas municipais João XXIII, Professor Valdete Nominato, EM João XXIII, Professora Laura Fabri e Augusto Soares.

A competição continua na quarta-feira, 6, com a participação das escolas Padre Eulálio, João Pereira, Augusto Soares e João Domingos Fassarella, que farão os pratos feijão tropeiro a moda escolar, purê de mandioca com cobertura de peito de frango, farofa nutritiva e almôndega com pimentão ao molho de tomate.

De acordo com a coordenadora do curso de Nutrição, professora Enara Roberto Silva Glória, “essas receitas serão avaliadas por um júri técnico e popular. Convidamos uma representante da Smed, três nutricionistas do programa de nutrição escolar e uma professora da Univale. Serão escolhidas três vencedoras, que serão premiadas no dia 12 de novembro”.

A gerente de alimentação escolar, Alessandra Venturelli, explica que as participantes precisarão cumprir alguns quesitos específicos, como a desenvoltura delas durante a competição e o sabor do prato. “Nós avaliamos qualidade, valor nutricional, o preparo, o tempo, o sabor, a apresentação do prato; mas o que nós vamos destacar aqui é o sabor. Não é porque o alimento é saudável que ele não é saboroso. Nós apresentamos isso aos alunos, uma reeducação alimentar saudável e saborosa. E elas entram com um ingrediente que a Smed não tem como fornecer, que é o amor”.